Se quiseres seguir o Bisonte e não fores da PJ, bota aqui o teu e-mail e clica em Submit

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Corpos de Verão


Chegou a altura deles, dos corpos de Verão. E o que são, afinal, esses tais corpos de Verão? A expressão, per se, parece indiciar um qualquer tipo de produto sazonal.
Quantos de nós já não ouvimos alguém comentar “Olha que vem aí o Verão, há que abater a barriguinha.” Ou ainda o célebre “Tenho de começar a dieta para caber no biquíni.”.
Este tipo de comentários sempre me fez pensar no que iria na cabeça das pessoas que o proferiam. Solteiros, ou acompanhados, o que pensariam eles quando olhavam para o espelho no Inverno? Estou com uns quilos a mais, mas não faz mal, ninguém vai ver, até porque isto dá para disfarçar com roupa. Vai uma cinta adelgaçante aqui, vai um push up ali, et voilà, as aparências iludem. Para os homens, quando passa uma “galinha”, basta encolher a barriga e esticar o peito, tipo galo.

Para os solteiros, isto diz-me que, na verdade, essas pessoas não estão realmente interessadas na sua saúde, ou no seu corpo. Estão sim, preocupadas com a sua imagem perante os outros. Não cuidam de si de dentro para fora, cuidam de fora para dentro.
Para os casados, ou comprometidos, pior um pouco… para o companheiro ou companheira, aquilo está mais que bom o ano inteiro, agora, quando vem o Verão e se vai mostrar o corpo aos outros, aí sim, já é preciso parecer bem. Não fazemos por nós, ou pelos nossos companheiros, fazemos pelos outros, que não conhecemos de lado nenhum, pois temos medo do seu juízo, queremos chamar à atenção, ou por ambas as razões.

E o grave é que isto é um problema socialmente aceite e fomentado pelos mais diversos canais de comunicação. É fantástico como uma ideia estúpida pode proliferar desta forma, há anos, sem que grande parte se questione.

Mas talvez haja aqui uma explicação científica para o sucedido com estas pessoas de personalidade e carácter sazonais. Quem sabe se, no Verão, os seus neurónios não vão efectivamente de férias, após um longo e extenuante período de actividade intensa na busca activa pela resolução desta e doutras dúvidas existenciais?